Sonho meu

Sonho meu

Quatro anos de idade; quero Tablet.

Seis anos de idade; quero Instagram.

Dez anos de idade; quero ser jogador de games.

Quinze anos de idade; quero ser Gamer.

Dezoito anos de idade; quero ser Publicitário Digital.

Vinte anos de idade; quero apenas experimentar e ser feliz.

Esse é o consumidor de hoje e, principalmente o de amanhã.

Todos os caminhos de produtos e serviços precisam ser repensados para se chegar a eles, para obter sua atenção, para poder “falar” com relevância, destaque e fazer sentido a esse público.

Há pouco tempo dizia-se que esse grupo era diminuto, de altíssimo poder aquisitivo e não representava nada na grande demanda das marcas mundiais.

Perigoso e crucial engano! Esse grupo cresce assustadoramente, não se reserva apenas na classe A, não segue as marcas, não possui a escala de valor de antigamente, não está nada interessado em sempre comprar a mesma marca e também não morre fiel a um determinado produto.

O grande valor que o bom e velho marketing conseguiu alcançar para as marcas ainda representa grande parte do custo, mas está visivelmente perdendo força.

Camiseta é camiseta, com jacaré, cervo, pássaro, macaco ou qualquer outro elemento grudado no peito, é apenas uma camiseta e não vou pagar o dobro para expor esses símbolos sem sentido.

Essa é a mentalidade de consumo que vem crescendo, se multiplicando e que em poucos anos se tornará o novo mercado.

Comunicação, marketing, trade marketing, on-line, off-line, storytelling, e-commerce, clube de compras, de assinaturas, de descontos etc…, tudo precisará ser renovado, readequado, reinventado, estudado, testado em permanente e severa transformação.

Enquanto isso, os processos de compra de serviços de agências continuam a reproduzir os mesmos briefings de dez anos para as mesmas ações ineficazes e deslocadas do presente, obviamente impedidas de sobreviver no futuro.

O publicitário pergunta: Podemos inovar? Podemos ser disruptivos de verdade?

SONHO SEU!