A propaganda e o marketing como conhecemos morrerão em uma década!

A propaganda e
o marketing como
conhecemos morrerão
em uma década!

A propaganda e o marketing como conhecemos morrerão em uma década!

Há quase 20 anos, o pesquisador e especialista Marc Prensky escreveu um dos artigos mais importantes sobre nativos digitais, o “Digital Natives, Digital Immigrants”. Sim, essas gerações nasceram digitais e isso muda tudo, desde o modo de educar, o sistema de aprendizado, a noção do tempo e espaço e a dinâmica do trabalho futuro.

Mudará tudo e para todos, porém na área de comunicação e marketing a mudança se dará até na plataforma que compõe as letras, os textos, o argumento, e, enfim a comunicação. Sem falarmos nos veículos, nos horários e locais de abordagem digital e física.

Falamos aqui de parte da geração Y (Millennials) e geração Z (Pós-millennials), compostas pelos nascidos ao final da década de 80, e a partir de 1995, respectivamente.

Prensky diz que estes jovens estão acostumados com informações em tempo real, recorrendo a fontes online e não offline. Entender como pensa esta nova geração é o segredo para que a educação, de fato, produza efeito, defende o pesquisador.

Fica a dúvida: o que estaria faltando em sala para que “aluno Y/Z” mantivesse o mesmo nível de interesse que gerações passadas durante a aprendizagem? Lembrando a todos que esses serão os consumidores do futuro é fácil entender o quanto a comunicação e o marketing precisam mudar.

O Relatório de Monitoramento Global da Educação, da UNESCO, lançado em 2016, aponta que, até 2020, o mundo poderá ter excesso de trabalhadores com níveis educacionais mais básicos, ou seja, déficit de pessoas com ensino superior. O dado sugere que as instituições e governos precisam investir de forma abrangente em educação, a fim de que as camadas sociais mais baixas da população tenham acesso ao nível de graduação, destaca o relatório.

Essa mudança já vem ocorrendo com grande velocidade e exemplos claros são: o Babbel, o VOA e o Duolingo, somente citando aplicativos e plataforma em inglês.

Sem dúvida, as escolas de comunicação e marketing já estão há alguns anos se mexendo nessa direção, mudando os métodos para atingir resultados na era digital. Pois é daí que saíra a base de consumo recorrente do futuro, são de lá que extrairemos os novos comunicadores, novos empresários, porém serão todos, como sempre, consumidores.

Sejam bem-vindos ao mundo digital ou fiquem à beira do caminho!