O Mico que virou Gorila!

O Mico que virou
Gorila!

Tudo começou há décadas, quando um profissional de atendimento de uma agência de propaganda, ao visitar um cliente recebeu um pedido de job para o dia seguinte, e sem custo. Isso mesmo, sem custo!

– Como uma agência que recebe verbas astronômicas de mídia pode pensar em cobrar um folheto promocional? – Argumentou o cliente.

Eis que nesse momento surge a primeira espécie de mico:

O MICO Incompetente, com certa influência psicológica do MICO Indecente, que veremos depois, e com o óbvio fim na figura do MICO quebrado.

Sim, existem várias espécies de MICO, mas os 3 mais importantes são os chamados 3.MI.

MICO Incompetente, MICO Indecente e MICO Quebrado.

Assim se solidificaram e cresceram as três espécies primárias desses primatas.

O MICO Incompetente: Se alimenta dos descontos ilimitados exigidos pelos clientes e aceitos pelas agências que assim, se tornaram commodities e, como tal, valem muito pouco.

O MICO incompetente é a agência que se mata para vender serviços a preço de banana e não exerce compromisso com a geração de resultados. Essa espécie de MICO também afeta o cliente que olha para o Excel e fica comparando preço e não talento e competência. O MICO Incompetente só troca o crachá, ora agência, ora cliente. Tem dois chapéus, um pensa que compra bem e o outro pensa que vai sobreviver com essa dinâmica.

O MICO Indecente: Vive em florestas jovens, de galhos novos e folhas frescas, não são incompetentes de formação, mas não tiveram tempo ou escola para aprender ética, não têm precisão em diferenciar talentos, competências, comprometimento, seriedade, profissionalismo e entrega.

Estão na fase das tentativas e erros, promovendo concorrências desequilibradas, inócuas, de cartas marcadas, ou simplesmente para cumprir tabela, alimentando-se as vezes das campanhas apresentadas por dezenas de agências, sem custo para ele, cliente, mas com muito custo e sonhos para as agências e seus colaboradores.

O MICO Quebrado: Está se proliferando de forma assustadora, às vezes ele se instala no cliente que acaba sucumbindo, e não raramente, se instala nas dezenas de agências que quebram todos os anos. O Mico quebrado é um mico camaleão que procura camuflar-se do conhecimento que não tem, da competência que não tem, da visão estratégica que não tem, da escolha de agências pelo Excel, do olhar envelhecido e reacionário para o mundo atual e de muito outros “predicados” que o configuram como o passo final da vida, a morte!

Nesse contexto os 3.MI VIRAM UM GORILA e seguem devorando as agências, tanto as apoiadas por grupos multinacionais, quanto, claro, as nacionais independentes.

E como era de se esperar, nessa floresta, a proliferação de Micos é enorme e só tende a aumentar com a bolha do disruptivo encabeçando o exercício da tentativa e erro, com pouco ou quase nenhum compromisso com o resultado de hoje e o planejamento que atenda o amanhã.

E a estimativa, claro, é assustadora, pois tanto as agências como os clientes estão tentando se reiventar em um mundo ‘onde o papo é maior que o fato’. A compra pelo resultado não existe e cada um cria a criatura que vai comer o criador.

A fotografia desse mundo está rachada!

Os cacos dela já começam a aparecer.