Um dia será diferente na agência

Um dia será diferente na agência

Engraçado como até hoje pensam que trabalhar em uma agência, nesse mundo da comunicação e do marketing, é ter uma vida delirante, leve e criativa.

Mas hoje, não é bem assim. Houve um tempo em que sim, havia glamour, sonhos renovados diariamente, criação original, etc.

Houve um tempo em que o publicitário tinha pleno conhecimento de seu propósito, dominava o conhecimento disponível e dava resultado. Vendia muito! Posicionava e criava valor às marcas, na verdade, ele próprio chegava a construir marcas e até mesmo mercados.

No entanto, em um ritmo alucinante, a ordem natural de tudo e de todos teve uma mudança significativa com o surgimento da web e da evolução tecnológica.

O papel da agência, sob o olhar do cliente, foi extremamente ampliado e, paradoxalmente, nós, agência, temos que ser generalistas e especialistas, pois permeamos vários conceitos e inúmeras disciplinas.

Então, nos estruturamos com sistemas, soluções, talentos, investimento em estruturas de TI e banco de dados, nos colocamos em permanente evolução.

Quando estamos com toda tropa preparada e todos os custos irritantemente presos na cabeça todos os dias, chegamos a vitória. Ganhamos mais essa concorrência. Grande alívio, sopro de esperança renovado!

Mas o telefone toca, aparece o Sr. Excel e, do outro lado da linha, alguém com meta de redução de custo atrelada à sua remuneração variável que lhe empurra ao muro da vergonha, você acaba por reduzir em 30% seus valores.

No final de meses conseguimos ganhar a concorrência. Contudo, levando em consideração os valores acertados, não conseguiremos obter lucro, não geraremos excedente de caixa, não criaremos fluxo, teremos zero de segurança de continuidade e a única coisa que conseguiremos com todo o investimento feito, mais a expectativa somada ao sonho, é pagar a conta, nada mais. Custo e investimentos desproporcionais ao resultado.

Porém, eis que vem o ingênuo e diz: “Se não fecharmos nesses preços, a concorrência fecha e nós perdemos, portanto, é melhor ceder e continuar trabalhando. Além disso poderemos ganhar verbas maiores em outros projetos”.

“Sim, meu querido ingênuo, vamos ganhar a experiência de todos quebrarem em cascata ”.